A nossa História

Missão | Visão | Valores

Quem somos?

A nossa História

A Associação de Recuperação para Toxicodependentes – ART foi constituída a 12 de Março de 1999, como uma associação de solidariedade social sem fins lucrativos, com sede social na Quinta Horta da Nora, freguesia e concelho de Castro Verde, com o reconhecimento do Ministério da Saúde.

É uma organização não-governamental de cooperação para o desenvolvimento (ONGD), que desenvolve as suas atividades em rigoroso respeito pelas leis dos países que intervém e pela Declaração Universal dos Direitos do Homem.

Inicialmente, a ART tinha como principal objetivo a recuperação de toxicodependentes e a sua reinserção na sociedade e como objetivo complementar o desenvolvimento de estudos e ações de prevenção da toxicodependência.

Com vista à realização do objetivo principal, a associação desenvolvia atividades em três comunidades terapêuticas: duas no concelho de Marco de Canaveses, a Quinta do Sol e a Quinta do Horizonte; uma em Castro Verde Quinta Horta da Nora. Estas comunidades previam o desenvolvimento de um programa terapêutico de 12 a 18 meses assente numa abordagem biopsicossocial. Este programa era operacionalizado por equipa pluridisciplinar, com recurso a atividades psicoterapêuticas, ocupacionais, culturais e recreativas e de apoio à reinserção social. Para a concretização do seu objetivo complementar, a associação desenvolvia as seguintes atividades: promoção de ações de sensibilização dos riscos da toxicodependência dirigidas a familiares e a sociedade em geral e ações de formação de caráter profissional, visando a formação de agentes de prevenção e do tratamento da toxicodependência.

Até 2007, a ART privilegiou a sua intervenção no tratamento e recuperação de adultos. Contudo, a partir dessa altura, começaram a surgir pedidos de internamento para menores que apresentavam consumo abusivo de substâncias psicoativas, o que conduziu à necessidade reformular a intervenção terapêutica nas três comunidades. O número de admissões de jovens foi progressivamente aumentando, trazendo novos desafios e dificuldades na coexistência de duas populações alvo (adultos e jovens) com necessidades diferentes. Desta forma, a ART decide especializar a sua intervenção com a população juvenil, desenvolvendo um programa terapêutico específico para menores/adolescentes, decisão essa que se tornou incompatível com a manutenção de um programa terapêutico de adultos. Paralelamente a esta realidade, surgiu a necessidade de promover ações de formação especializadas para os profissionais das comunidades terapêuticas, com o objetivo de fornecer ferramentas de trabalho adequadas à intervenção com a nova população.

Em 2009, a ART procede à remodelação dos seus estatutos pelo que a Associação passa a denominar-se “ART – Associação de Respostas Terapêuticas”. A ART mantém o objetivo central de intervenção terapêutica com indivíduos que apresentem consumos aditivos e/ou comportamento de inadaptação social, bem como os objetivos complementares de sensibilização e prevenção da exclusão social, desenvolvimento de ações, projetos e programas de formação relacionados com comportamentos aditivos, a profissionais e população geral.

Atualmente, as três comunidades terapêuticas da ART tem unicamente um programa terapêutico específico para menores/adolescentes, sendo que todas são licenciadas e protocolada pelo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências SICAD,- Ministério da Saúde e registadas na Entidade Reguladora de Saúde ERS.

Ao longo da história da ART, destacam-se os principais Contratos de Convenção celebrados com os diferentes organismos responsáveis pelo licenciamento e fiscalização das unidades de saúde da ART, nomeadamente: no ano 2000 são celebradas as primeiras convenções com o SPTT, tendo sido atribuídas 30 camas convencionadas para as três comunidades terapêuticas. O número de camas convencionadas foi sendo reavaliado, pelo que em 2001, são atribuídas mais 15 camas pelo SPTT; em 2008 mais 25 camas pelo Instituto da droga e da toxicodependência (IDT); em 2013 mais 32 pelo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e Dependências (SICAD). A 6 de Fevereiro de 2015 são celebradas novas convenções sem alterações no número de camas convencionadas. Desta forma a distribuição atual das camas convencionadas pelas comunidades terapêuticas da ART é a seguinte: Quinta do Sol com 22 camas, Quinta do Horizonte com 24 camas e Quinta Horta da Nora com 56 camas convencionas.

Os nossos Parceiros